Convênio com a Secretaria de Educação foi assinado nesta sexta-feira

Com objetivo de despertar o interesse de crianças e jovens e massificar o aprendizado do voleibol masculino em Blumenau, a APAN/Eleva e a Prefeitura de Blumenau, por intermédio da Secretaria de Educação, firmaram na manhã desta sexta-feira, 20 de maio, um convênio para implantação de sete polos de iniciação em escolas da rede pública municipal.

Neste primeiro ano, o projeto “APAN/Eleva Voleibol para vida” poderá atender até 700 crianças e jovens com idade entre 09 e 18 anos, em sete núcleos. Está prevista a ampliação para 10 polos após esse período. O técnico André Donegá, um dos idealizadores do projeto, será o coordenador geral. Ele comemora a parceria com o município, assinalando ser de fundamental importância para o desenvolvimento da modalidade nos próximos anos. “A implantação dos núcleos é um antigo sonho da APAN”, comentou. A iniciativa pretende despertar o interesse dos jovens para aprender e jogar voleibol perto de sua casa, além de promover a inclusão social e integrar as comunidades envolvidas.

Pelo convênio, a APAN/Eleva vai levar sua experiência e metodologia de ensino aos jovens envolvidos. A formação dos profissionais também está prevista, promovendo o surgimento de novos treinadores, auxiliares, preparadores físicos. A Secretaria de Educação tem a missão de escolher as escolas que abrigarão os polos e selecionar os professores envolvidos.

Confira onde serão os sete polos de iniciação do voleibol masculino:

EBM Alberto Stein

EBM Anita Garibaldi

EBM Francisco Lanser

EBM Henrique Alfarth

EBM Machado de Assis

EBM Pedro II

EBM Quintino Bocaiúva

Projeto da base iniciou na Barão

A Escola Barão do Rio Branco foi a pioneira no desenvolvimento do voleibol masculino de Blumenau. Projeto hoje gerenciado pela APAN, com apoio da Secretaria de Esporte.

Com a filosofia de formar atletas e cidadãos por intermédio do voleibol, tudo começou em 1977, quando o professor Artur Novas começou a trabalhar na Escola Barão do Rio Branco, na área de Educação Física. Nesta época formou as primeiras equipes de vôlei. Elas treinavam numa quadra de cimento, onde hoje está localizado o ginásio do estabelecimento de ensino.

Em 1984 fundou o Clube Escolar Barão do Rio Branco, passando a disputar competições regionais e estaduais de voleibol. Nos anos 90, a equipe se consolidou como a principal formadora de talentos do voleibol catarinense e uma das principais do Brasil.

Atletas de renome foram revelados pelo projeto da Barão, como Anderson “Xanxa”, campeão mundial com a Seleção Brasileira. Mais de 30 atletas, em diferentes categorias, vestiram a camisa Seleção Brasileira.

Em 1996 a equipe passou a se chamar Barão/Ceval. No ano de 1998 disputou sua primeira Liga Nacional. Foram seis participações na primeira divisão, sendo a última sob a denominação de Soya/Blumenau (Associação Blumenau Pró Vôlei), na temporada 2010/2011.

Em 2013, a equipe de voleibol masculino de Blumenau mudou seu nome para APAN (Associação Professor Artur Novaes), em homenagem do seu fundador e maior incentivador. Em 2019, após nove anos, o time voltou à elite do voleibol brasileiro e na temporada passada (2021-22) fez a sua melhor campanha da história numa Superliga, ficando em quinto lugar.

Na mesma temporada, as categorias de base conquistaram resultados expressivos, resultando na conquista do Troféu Eficiência, concedido pela Federação Catarinense de Vôlei ao clube mais regular da temporada. Foi campeão estadual com o sub-17; vice com as categorias Sub-18 e Sub-16; e terceiro com os garotos do Sub-15.

Além disso, vestiu a camisa de Blumenau nas competições organizadas pela Fesporte, sendo vice-campeão da etapa estadual da Olesc e campeão na fase regional e quinto nos Joguinhos Abertos de Santa Catarina, após ser campeão no Regional.